Mês: dezembro 2013

10 coisas que você não sabia sobre o Natal

Fim do ano se aproximando e a data natalícia que tantos gostam, também está chegando. Mas você sabe tudo sobre o Natal? Comoele surgiu? Qual o real significado de um dos feriados mais populares do mundo? Fique atento e confira 10 curiosidades que você não sabia sobre o Natal:

10. Krampus

O Krampus é um ser mitológico popular no folclore Alpino. Ele acompanha São Nicolau em suas visitas às casas das pessoas, e, enquanto Nicolau dá presentes às boas crianças, Krampus pune as más.

09. Save The Date

Não existem registros bíblicos sobre o exato dia em que Jesus veio ao mundo. Na realidade, o dia 25 foi escolhido para celebrar o nascimento de Jesus somente no século 4, quando, por intermédio do Papa Júlio I, a Igreja Católica reconheceu o nascimento de Jesus como um feriado oficial. No entanto, a data já tinha conotação pagã, nesse dia comemorava-se o “Natalis Solis Invicti” (Nascimento do Sol Invencível). A Igreja aproveitou-se dos festejos pagãos dando-lhe significado cristão, afinal, se “Jesus é a luz do mundo”, nada mais adequado do que nascer no dia do sol invencível, que acontece na Europa no final de dezembro, não exatamente no dia 25, mas entre 22 e 25 do mesmo mês. O Natal seria, portanto, relacionado à tradições pagãs do solstício de inverno, o dia mais curto do ano.

08. Árvore de Natal

O pinheiro natalino não possui nada de cristão, acredite, ele também é de origem pagã. Os povos germânicos cultuavam o carvalho sagrado do Deus Odin, o Deus menino. Considerado o demônio do mundo, o Deus Odin, era representado pelos carvalhos e a seus pés eram colocados presentes, para que as crianças pegassem, muito parecido com o que acontece hoje em dia, não acham? A tradição natalina de enfeitar o pinheiro durante o Natal também relaciona-se à Cristo, devido a sua perenidade. O pinheiro é uma árvore de grande resistência, em nenhuma das estações do ano suas folhas caem ou mudam de cor, mantendo-se verde e exuberante por todo o ano, assim como Jesus e sua vida plena e permanente no coração dos cristãos.

07. Papai Noel

O bom velhinho existiu e não era gordinho e usava roupas vermelhas, como ficou eternizado pela Coca-Cola. O verdadeiro Papai Noel chamava-se Nicolau Taumaturgo – um arcebispo turco. O religioso costumava ajudar pessoas pobres da cidade de Mira, colocando moedas de ouro nas chaminés de suas casas, durante a época de Natal. Mais tarde, diversos milagres foram atribuídos ao bispo Nicolau, e a Igreja o santificou, nomeando-o de São Nicolau. Sendo assim, sua imagem como símbolo natalino teve origem na Alemanha, e de lá se espalhou para mundo inteiro.

06. Natal em Guerra

Já imaginou passar o Natal em pleno conflito bélico? Durante a Primeira Guerra Mundial o front Ocidental cessou os conflitos armados para entoar canções natalinas. Felizmente, todos se comoveram e iniciaram uma trégua natalina emocionante, onde os soldados saíram de suas trincheiras desejando feliz natal uns aos outros, trocando presentes e cantando músicas natalinas. A Trégua de Natal, como ficou conhecida, foi representada no cinema, confira o trailer do filme:

05. Feriado Proibido

Durante os séculos XV e XVI o Natal foi proibido pelos protestantes na Inglaterra e nos Estados Unidos. Os puritanos acreditavam que as pessoas precisavam de regras rígidas para serem religiosas, e que qualquer tipo de festa ou animação era pecado. Cientes de que a data natalícia estava ligada à antigos cultos pagãos, os  protestantes criaram leis para impedir a comemoração do Natal entre os seus, uma vez que afirmavam ser um insulto a Deus honrar um dia que já foi associado com o paganismo antigo.

04. Música Espacial

A primeira música tocada no espaço foi uma canção natalina. Em 16 de dezembro de 1965, Jingle Bells foi executada por Wally Schirra, astronauta da missão espacial Gemini 6, o primeiro a realizar um encontro espacial com outra nave.

03. Do Outro Lado do Mundo

No Oriente, a Igreja Ortodoxa comemora o Natal no dia 6 de janeiro, data em que os cristão ocidentais celebram o dia dos Três Reis Magos e as árvores de Natal são tradicionalmente desmontadas.

02. Três Reis Magos

Falando neles, pouca gente conhece o que esses três homens representam na religião cristã. Baltazar, Gaspar e Melchior eram oriundos de diferentes regiões do mundo antigo, ao contrário do que muitos pensam, eles não viajaram juntos. Cada um dos reis representava uma nação, daí a compreensão do significado da vinda de Jesus a Terra: unir os homens. Sendo assim, cada um deles trouxe um presente ao Rei dos Judeus. Baltazar, oriundo da África, trouxe mirra para o menino, um presente ofertado aos profetas. A mirra é um arbusto originário desse país, onde é extraída uma resina para preparação de medicamentos. Gaspar, que partiu da Índia, o presenteou com incenso, uma alusão à sua divindade. Os incensos são queimados há milhares de anos para aromatizar os ambientes, espantando insetos e energias negativas, além de representar a fé, a espiritualidade. Melchior, que partiu da Europa, ofereceu ouro ao Messias, rei dos reis. O ouro simbolizava a nobreza e era oferecido apenas aos deuses.

01. Bananada

Os indianos cristãos festejam o Natal decorando árvores típicas do país, como a mangueira e a bananeira. Por isso, não se espante se ao visitar a Índia, em dezembro, topar com uma bananeira de Natal.