Autor: grupodejovensmesse

Ser jovem nos dias de hoje

ser_santo

O que é ser jovem nos dias de hoje? Como se encontrar no meio de tantas modas, manias, recalques? Que jovem é você? Não serei ninguém se em primeiro lugar não me encontrar comigo mesmo. Onde está meu coração? O meu verdadeiro amor está perdido dentro de mim e tenho que encontrá-lo.

Só podemos ter a força e a coragem de ir além e conseguir ir em busca de amar a nós mesmos e assim amar o próximo, de remar contra a maré, de amar os inimigos, se deixarmos Deus governar nossa vida. Fazer o que “eu quero e posso” é fácil, ir nas ideias dos diversos grupos da sociedade se “superficializando” e se rotulando não precisa de muito esforço. Contudo a coragem está em assumir o ser “diferente” que Cristo nos apresenta e abraçar o que é loucura para o mundo.

Nos dias de hoje o jovem anseia pelo novo, mas eu vos digo: “O NOVO ESTÁ NO MEIO DE VÓS, desde sempre EM VOSSOS CORAÇÕES”. Jovem, você que está na luta pelo amor e pelo que é bom, tenha a certeza de que é Deus que inflama teu coração e te chama a ser sinal no meio de todos. Os gestos concretos, o desprendimento, a doação são importantíssimos, ainda mais quando aliados ao seu, ao nosso, querer.

Ver os sinais de Jesus em seu tempo nos ensina a ser ousados como Ele, e no nosso caminho estar sempre em sintonia com o amor e a vontade do Pai, não segundo a vontade do mundo, mas segundo os planos de Deus. Nesse contexto temos a cruz, um símbolo muito forte. Carregar a cruz e seguir não implica tão somente “carregar a minha cruz”, mas também carregar o sofrimento daqueles que passam por mim, compromisso esse nobre, difícil, mas não impossível.

A Santidade nos dias de hoje é um grito e um anseio nos nossos corações. Mas nós estamos tão sobrecarregados com outras coisas e querendo saciar essa sede de tantas outras maneiras que tentamos saciar essa sede na busca por aquilo que não é duradouro e perfeito. Jesus nos dá a chance de caminhar com ele o caminho do calvário, e nos ensina a cair e levantar, pra mostrar que é possível, se não desistirmos é claro, caminhar rumo a essa santidade proposta. Sendo fiel no pouco e dando passos rumo ao céu, nossa morada eterna.

Texto: Graziela Rodrigues Moura de Melo